Semec busca parceria para valorizar obras produzidas por professores da Rede Municipal

Com o objetivo de valorizar as produções de autores locais da Rede Municipal de Educação, o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso, está buscando formas de viabilizar a publicação de livros produzidos por professores. Nesta terça-feira (12), conversou com o diretor da editora da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), professor Dr. Marcelo Neto, para uma parceria.

Também esteve no encontro o professor da UESPI, Dr. Feliciano Bezerra, do curso de Letras Português; e a professora Débora Rêgo, diretora do Centro Municipal de Educação Infantil João Batista Brito de Melo. Ela já produziu dois livros infantis e pediu ajuda da Secretaria Municipal de Educação (Semec) para levá-los até as unidades de ensino. “Nas escolas sempre trabalhamos projetos de autores renomados, mas também no Piauí temos boas obras. Precisamos espalhar essas produções para as crianças”, disse Débora.

O secretário Nouga também apresentou aos professores da UESPI um livro escrito pela professora Ana Vitória de Carvalho, falecida recentemente após complicações da Covid-19. Ana Vitória contribuiu com a Rede Municipal por anos, foi homenageada dando nome à uma escola, e agora pode ter seus escritos publicados.

“Estamos em busca dessa parceria com a editora da UESPI para valorizar as produções piauienses. A proposta é que logo possamos consumir nas escolas essas obras, trabalhar com a produção local, dando espaço para os nossos autores”, destacou Nouga Cardoso.

Semec vai ampliar número de escolas de tempo integral em 2022

Alunos por mais tempo na escola significa mais aprendizado. É nesse sentido que a Secretaria Municipal de Educação (Semec) está ampliando o número de escolas municipais que funcionam em tempo integral. Atualmente, 22 unidades de Ensino Fundamental trabalham com jornada estendida, o objetivo é aumentar para 27 até o próximo ano.

A iniciativa é também um esforço para atender a meta 6 do Plano Municipal de Educação, que prevê a oferta de tempo integral para pelo menos 50% das escolas públicas municipais, chegando a 25% dos alunos da educação básica até o ano de 2025. O alcance dos números depende de uma série de modificações físicas e pedagógicas nas unidades de ensino, garantindo que o tempo prolongado na escola seja bem aproveitado.

Uma equipe da secretaria executiva da Ensino da Semec está percorrendo as unidades de ensino que podem ser adequadas para funcionar em tempo integral. As visitas técnicas são para analisar a capacidade estrutural, demanda da comunidade e principais necessidades para o novo formato.

“A rotina de uma escola de tempo integral envolve atividades diversificadas, maior número de refeições e toda uma restruturação para que os alunos tenham um dia confortável no ambiente escolar, aproveitando ao máximo esse tempo. Estamos avaliando todos esses aspectos diretamente nas unidades de ensino que acreditamos ser viáveis. A expectativa é de termos pelo menos mais cinco escolas de tempo integral nos próximos meses”, anuncia a coordenadora das Escolas de Tempo Integral da Semec, Regina Soares.

Gestores da educação municipal discutem níveis de leitura e escrita do ciclo de alfabetização

Discutir e analisar os resultados de leitura e escrita do Ciclo de Alfabetização da Rede Municipal de Teresina. Estes foram os objetivos dos encontros gerenciais realizados pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) nos dias 12 e 13 de outubro, que contou com a participação de 230 gestores da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

“Os gestores foram acolhidos, de forma calorosa, por meio de movimento corporal, como forma de reflexão sobre a importância do acolhimento no processo de Alfabetização das crianças. Na oportunidade, destacamos ainda sobre aspectos emocionais relacionados à afetividade como elementos necessários ao estreitamento de laços entre professor e estudantes, em especial no retorno às aulas”, diz coordenadora de Alfabetização da Rede Municipal de Ensino, Aurismar Sousa.

Durante a apresentação e análise dos resultados foi feita a socialização de experiências significativas desenvolvidas pelos(as) professores(as), pedagogos(as) e diretores(as) das unidades de ensino, como forma de compartilhar boas práticas e possibilitar melhores intervenções no processo ensino aprendizagem. “É importante destacar que, através da avaliação, os processos formativos assumem ampla dimensão e possibilitam intervenções pedagógicas assertivas favorecedoras do desenvolvimento e aprendizagem dos estudantes”, acrescenta Aurismar.

“Cada gestor, no exercício crítico reflexivo acerca de dados produzidos em avaliações, e, ao abordá-los qualitativamente, torna-se agente motivador de equipes através da liderança dialogada e incentivador de boas práticas”, afirma a professora Eudeilane Pereira, coordenadora da Avaliação. “Para nós, é um momento rico em aprendizados, em que constatamos a importância de realizarmos a análise dos resultados no cotidiano da escola, dialogar com a equipe escolar e traçar novas estratégias para o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita no processo de Alfabetização”, complementa.

“Com base nos resultados das avaliações dos níveis de leitura e escrita dos alunos discutimos com os diretores, propondo situações a serem colocada a partir deste momento. Fizemos também uma análise do que tivemos como evolução em relação ao retorno das aulas presenciais”, conclui o secretário executivo de ensino da Semec, Kleytton dos Santos.

 

#nome{ width: 49%; float: left; }