Letramento literário é tema de formação para professores da Rede Municipal

Professores de língua portuguesa que atuam no 1º ano do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Teresina participaram, no Centro de Formação Odilon Nunes, de uma capacitação sobre a importância do letramento literário na formação do leitor no espaço da escola.

“Reforçamos com os professores sobre a importância de o aluno saber ler e compreender o que está lendo. Também oportunizamos um momento onde, através de vivências em sala de aula, haver uma troca de experiências entre os educandos no processo de formação do leitor”, explica a formadora do ciclo de alfabetização, Ehunirce Gomes.

Na formação foi dado ênfase na organização dos gêneros textuais em progressão, onde o professor pode trabalhar as práticas de linguagem, a leitura, a escuta, a oralidade e a produção textual. “O letramento literário propicia a formação de um leitor sensível e crítico ao mesmo tempo, ou seja, um cidadão completo”, conclui Ehunirce Gomes.

Este ano a Secretaria Municipal de Educação (Semec) ampliou a formação continuada para os professores que atuam em sala de aula e também em funções de gestão nas unidades de ensino. O intuito é possibilitar um melhor planejamento das ações, criando uma rede bem estruturada nas unidades de ensino.

CMEI Anita Morais realiza projeto de leitura

Contação de histórias, recital de poesia e muita leitura marcaram o lançamento, na manhã desta quinta-feira (02), do Alfabetiza Teresina e do projeto de leitura “Uma viagem na imaginação”, do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Tia Anita Morais de Brito.

O projeto contou com a participação dos alunos das turmas de 2º Período e do 1º ano do Ensino Fundamental. O Cmei tem196 alunos matriculados nos turnos manhã e tarde e o incentivo à leitura faz parte do cotidiano da instituição desde o ano de 2014, envolvendo sempre estudantes e pais na idealização de diversos projetos especialmente voltados para a temática da leitura.

Cada turma tem um recurso que é trabalhado semanalmente e ao fim do bimestre é realizada a culminância, onde as famílias participam para conhecer o que foi realizado pelos alunos.

“O incentivo à leitura através dos livros que são enviados para casa na sacola viajante, a contação de história que é realizada quinzenalmente e a lata da leitura são alguns dos recursos que utilizamos para socialização entre as crianças e as famílias da nossa instituição”, afirmou a diretora do Cmei Tia Anita Morais de Brito, Josilene Silva.

Educação inclusiva chega à formação de professores da sala de aula regular em Teresina


Em 2022, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) iniciou um processo de formação de educadores em uma perspectiva inclusiva. A ideia é construir uma rede de apoio com profissionais capacitados para melhor atender os alunos com deficiência matriculados nas unidades de ensino da Rede Municipal.

Para isso, a Divisão de Educação Inclusiva da Semec saltou de um trabalho com demandas técnicas como matrículas, atendimento, garantia de recursos e professores para a própria formação dos educadores, que anteriormente acontecia em momentos específicos.

Após as primeiras capacitações com técnicos, diretores, coordenadores pedagógicos e professores de Atendimento Educacional Especializado (AEE), a equipe de formação deu início ao diálogo com o grupo de maior desafio, os professores que atuam na sala de aula regular. Essa é a primeira vez que esse público vai discutir a temática dentro de um cronograma contínuo, mesmo que inicialmente através dos professores formadores.

“Percebemos que uma grande barreira era a falta de conhecimentos mais profundos em aspectos relacionados à inclusão. Então montamos uma equipe específica para o trabalho de formação, atendendo por várias frentes, como o Curso de Libras para servidores municipais e a formação na perspectiva inclusiva. Assim envolvemos uma rede sensível à causa da educação inclusiva para nos dar suporte e chegar até a sala de aula regular, algo novo. À medida que esses formadores planejam as sequencias didáticas, o currículo, organizam o que vai para sala e as ações inclusivas já são fixadas nesse trabalho”, explica Amanda Kárdia, chefe da Divisão de Educação Inclusiva da Semec.

De acordo com a coordenadora de Formação da Educação Inclusiva, Cássia Dias, os professores começarão a aprender sobre legislação, aspectos éticos, atendimento, até chegar na construção de instrumentais e estudos específicos de cada deficiência.

“A educação especial é transversal, então a proposta é entrar em temáticas na Educação Infantil, Ensino Fundamental e também EJA, passando pelo tempo integral, cada segmento com sua estratégia. Os professores terão flexibilidade para desenvolver as atividades de acordo com as necessidades de seus alunos, desde adaptações metodológicas até curriculares, a partir dos conhecimentos adquiridos nesse processo”, diz Cássia
A ideia é que os educadores também possam compartilhar suas dificuldades para que sejam encontradas soluções em grupo, diferenciando o que pode ser solucionado somente com um olhar mais sensível e o que necessita de intervenção externa.

“Sabemos que a médio prazo começaremos a perceber as mudanças, porque a partir do momento que você sensibiliza e prepara esses profissionais, elimina uma das barreiras do universo das pessoas com deficiência, que é a atitudinal. Temos outras, mas vamos derrubando cada uma, começando por essa”, conclui Cássia.

Semec anuncia processo seletivo para 220 professores substitutos e cadastro de reserva

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) divulgou o edital do Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto, com o objetivo de contratar 220 docentes que atenderão as necessidades mais urgentes das unidades de ensino da Rede Municipal ainda neste ano letivo.

As vagas ofertadas são para professores do Segundo Ciclo (anos finais do Ensino Fundamental – 6° ao 9° ano) e Formação de Cadastro de Reserva para os cargos de professor do Primeiro Ciclo (Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental – 1° ao 5° ano), além de professor de Matemática do 6° ao 9° ano.

O Processo Seletivo Simplificado, de caráter eliminatório e classificatório, acontecerá por análise curricular. Serão avaliados títulos, experiência profissional no exercício da docência e cursos de aperfeiçoamento em educação. De acordo com o edital, 20% das vagas existentes e do cadastro de reserva são destinadas para negros e 5% para pessoas com deficiência.

As inscrições serão gratuitas, no período de 8 à 15 de junho, no site da Semec. A homologação do resultado final está marcada para o dia 15 de agosto.

Clique aqui para conferir o Edital

#nome{ width: 49%; float: left; }